quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Alimentos Grain free para cães e gatos

Lidiane P. Domingues, Ananda P. Felix

Introdução


O estreitamento da relação entre os cães e seus tutores induz a busca de dietas que, além de suprirem suas necessidades nutricionais, proporcionem longevidade e bem estar. Esse fato aliado à busca por exclusividade no setor pet faz surgir novos nichos de mercado, que compreendem dietas naturais, orgânicas e mais recentemente as chamadas dietas livres de grão (grain free).

Segundo Saad (2011), assim como os outros novos nichos, o grain free baseia-se nas premissas de que a saúde e longevidade tem um forte aliado, que é a dieta semelhante àquela consumida na natureza. Autores como Phillips-Donaldson (2011) consideram os alimentos grain free como a mãe de todas as tendências atuais do pet food. Essa tendência caracterizada pelo fato de incluir o “natural”, sem trigo, sem glúten, hipoalergênico e carne de primeira qualidade, como promotora de saúde, teve inicio nos Estados Unidos em 2007. Atualmente esses alimentos vêm ganhando espaço nas prateleiras brasileiras, com algumas marcas já disponíveis no mercado.

Mas qual é a diferença de uma Ração Grain Free?

Os alimentos grain free, não são totalmente livres de carboidratos, como o próprio nome sugere, mas sim contêm  significativa redução dos mesmos, com níveis elevados de proteína e lipídeo. Este perfil se deve aos altos níveis de inclusão de produtos de origem animal; cerca de 70% (priorizando-se aqueles com qualidade e padrão semelhantes aos utilizados na alimentação humana, como carnes frescas e desidratadas, ovos e óleos animais como de frango e de peixes) enquanto que os 30% restantes são preenchidos por  frutas, legumes, verduras e ingredientes bioativos e funcionais.

Outro diferencial nessa nova tendência é a utilização de frutas e legumes desidratados, que via de regra não são constantes nas formulações dos alimentos comerciais convencionais. Além disto, a inclusão de fitonutracêuticos (extrato de alecrim, salsa floculada, extrato de Yucca schidigera, extrato de chá verde, extrato de aloe vera, etc.) e outros ingredientes funcionais, como antioxidantes naturais celulares (carotenoides, polifenois), pré e próbioticos, promotores de saúde bucal e intestinal, dentre outros, elevam a qualidade das rações grain free. As tabelas a seguir mostram os níveis de garantia (Tabela 1) e ingredientes (Tabela 2) mais comumente utilizados em dietas grain free

Tabela 1. Níveis médios de garantia de alimentos com denominação grain free


Tabela 2. Ingredientes mais comumente utilizados em alimentos com denominação grain free

Quais as implicações desse tipo de dieta na saúde dos animais e na formulação?

Anatomicamente, tanto cães como gatos são considerados animais carnívoros, apesar de signficativas diferenças fisiológicas. Seus ancestrais tinham como base alimentar a caça, cuja composição corresponde basicamente à proteínas e lipídios. Sendo assim, os carboidratos não passavam de 5% da dieta, provando que evolutivamente esses animais não tem necessidade nutricional de carboidratos. A dieta grain free surge então com a alegação de ser biologicamente mais apropriada para essas espécies.

Muitas vezes o carboidrato é tratado como vilão na alimentação de cães e gatos. No entanto, vale ressaltar a importância de uma classe de carboidratos que corresponde as fibras, componentes que auxiliam na manutenção da flora intestinal, ajudam na eliminação de bolas de pêlo, são reguladoras de consumo e fortes aliadas na formulação de dietas para animais obesos e diabéticos. 

Além disso, o carboidrato tem  papel essencial em dietas comerciais extrusadas. Ele contém o amido, componente que ao passar pelo processo de extrusão  se expande, tornando os nutrientes da ração altamente digestíveis, além de dar o formato para o extrusado. Sem nenhuma fonte de carbidrato mínima na dieta torna-se muito difícil e inviável extrusar uma ração para cães e gatos.

Considerações Finais

Os novos nichos que vem surgindo na nutrição de animais de companhia são reflexo  de uma sociedade cada vez mais próxima de seus animais e que busca o melhor para garantir a longevidade e bem estar do seu pet. Porém, muito mais importante do que se deixar levar pelo marketing de muitas tendências, como a grain free, é preciso uma avaliação criteriosa e  científica dos efeitos nutricionais, fisiológicos e metabólicos dessas dietas,  que vão se refletir diretamente na qualidade de vida desses animais.

Referências
PHILLIPS-DONALDSON, D. The mother of all petfood trends: grain free. Disponivel: http:// www.petfoodindustry.com/Default.aspx?pageid= 7888&id=7964&blogid=761&terms=grain+free. Acesso em: 16/09/2014. Petfood industry, 2011
SAAD, F.M.O.B., OGOSHI, R.C.S, REIS, J.S.R., EBINA, F.S. Alimentos comerciais grain free para cães e gatos: uma nova tendência. Revista Nutrição Pet Horse, Edição 21, 2011. 
SAAD, F.M.O.B., FRANCA, J.; AQUINO, A.A. ; SAAD, C.E.P. Modern nutrition impact on the health and life longevity of dogs and cats. Revista Brasileira de Zootecnia , v. 40, p. 242-250, 2011.