terça-feira, 17 de novembro de 2015

Uso do Cranberry para a prevenção da infecção do trato urinário em animais

Vanessa Regina Olszewski

Introdução

Uma das três frutas nativas cultivadas na América do Norte, o Cranberry, tem se destacado no mercado mundial devido às suas propriedades terapêuticas que, segundo pesquisadores, são capazes de combater e prevenir infecções de origem bacteriana, como por exemplo a Infecção do Trato Urinário. 

O artigo a seguir abrangerá o assunto, dando ênfase aos componentes presentes no Cranberry, capazes de auxiliar na prevenção de doenças de origem bacteriana.

História do Cranberry

O Cranberry (Vaccinium macrocarpon Aiton) é uma planta nativa e bastante difundida na América do Norte. 

Conhecida no Brasil como Oxicoco ou Mirtilo – Vermelho, seu nome em inglês deriva de um pássaro chamado Crane, uma espécie de gaivota que possui o formato da sua cabeça muito parecido com o formato da flor de Cranberry e, por isso a planta foi chamada no início de Crane Berry, até chegar ao nome atual.  
Pássaro Crane e flor do Cranberry

Os primeiros relatos de uso desta fruta datam por volta de 1620, quando americanos já utilizavam o Cranberry como conservante de alimentos através de uma pasta feita com a fruta amassada que era misturada a carne para conservá-la por maior tempo. 

Além disso, o suco de Cranberry era também utilizado para tingir tecidos, roupas, cobertores e para esterilizar ferimentos, muitas vezes causados por flechas envenenadas.

Hoje o Cranberry possui um importante papel nos feriados norte americano, sendo usado principalmente no feriado de ação de graças como principal tempero da carne.

Além disso, muitos acreditam que o consumo desta fruta pode proporcionar uma vida mais saudável, pois segundo pesquisadores, os componentes do Cranberry são capazes de combater infecções causadas por bactérias, além de conter antioxidantes, vitaminas, etc.

Propriedades terapêuticas do Cranberry

O Cranberry é um fruto inserido nos hábitos alimentares e tratamentos terapêuticos em todo o continente norte americano.

Esta fruta é uma fonte importante de vitaminas, agentes antioxidantes e outros elementos nutritivos. Possui em sua composição compostos polifenólicos (agentes antioxidantes como taninos), ácidos orgânicos (ácido cítrico, málico, quínico e benzoico), além de catequinas e água. 

São atribuídas ao Cranberry diversas ações terapêuticas como anticancerígenas, protetora do sistema cardiovascular, antifúngica além de possuir ação antibacteriana prevenindo, por exemplo, doenças como a infecção do trato urinário. 

Infecção do trato urinário

Entende-se por infecção urinária a colonização por microrganismos patogênicos das vias urinárias, podendo comprometer somente o trato urinário baixo ou afetar simultaneamente o trato urinário inferior e o superior.

A infecção urinária baixa ou cistite é a mais comum e pode ser sintomática ou não e ocorre em maior frequência em fêmeas do que machos, devido à anatomia do sistema urinário. O ânus, local com grande população bacteriana encontra-se mais próximo da uretra distal nas fêmeas do que nos machos, facilitando a proliferação bacteriana na uretra distal e aumentando as chances de desenvolvimento de uma infecção. 

Tanto bactérias Gram + como Gram – são capazes de causar infecções, sendo que as bactérias Gram –, como a Escherichia coli são as principais responsáveis por desencadearem Infecções do Trato Urinário, também conhecidas como ITU’s.

A principal forma de tratamento de ITU’s é através da antibioticoterapia, de 1 a 7 dias com Penicilinas (penicilina G e amoxicilina), Cefalosporinas (cefalexina, cefotaxima, ceftiofur) ou Fluorquinolonas (ciprofloxacina e enrofloxacina), sendo as Fluorquinolonas as mais utilizadas em ITU’s devido ao seu amplo espectro

Uso do Cranberry para prevenir as ITU’s

O Cranberry tem sido utilizado como forma de prevenção às Infecções do Trato Urinário devido as suas propriedades terapêuticas.

Os flavonoides como as antocionidinas, encontradas na composição do Cranberry, são capazes de agir sobre as células bacterianas rompendo a membrana citoplasmática e inibindo a atividade enzimática. 

Já as proantocianidinas do Tipo A (PACs), únicas encontradas no Cranberry podem ajudar a impedir que determinadas bactérias nocivas se proliferem no organismo. 

O Cranberry possui uma das mais altas concentrações de PACs totais por grama se comparado com outras frutas, chegando a 418,8 mg/100g. Alguns estudos de laboratório têm revelado que as PACs do Tipo A são responsáveis por impedir que determinadas bactérias nocivas se fixem às células, impedindo que estas causem infecções e acabem sendo, consequentemente, eliminadas do organismo.

Uso do Cranberry em animais

As infecções do trato urinário (ITU) são uma das causas mais frequentes de doença nos cães, tendo menor ocorrência nos gatos. 

Pesquisas indicam que grande parte dos cães irá desenvolver esta afecção em alguma fase da vida, sendo esta de origem majoritariamente bacteriana. A forma de tratamento é predominantemente com antibióticos, sendo que os efeitos terapêuticos do Cranberry em cães e gatos ainda não foram relatados.

Na suinocultura, a exploração por animais geneticamente mais exigentes e mais sensíveis a doenças proporcionou um aumento na incidência de doenças, dentre elas, destacam-se as infecções do trato urinário. 

Já é sabido que o Cranberry é capaz de acidificar a urina dos suínos, auxiliando na prevenção das ITU’s, mas que este não serve como única forma de tratamento desta afecção, sendo necessário o uso de antibióticos para tratamento efetivo da doença. 

Em ratos, já foi observado em experimentos de laboratórios que o Cranberry é responsável por reduzir o colesterol. Outras ações ainda não foram relatadas nestes animais.

Acredita-se que o Cranberry, devido a sua função anti-aderente também seja responsável por prevenir gastrites causadas pela Helicobacter pylori e por prevenir a formação de filmes bacterianos nos dentes, impedindo a formação de placas e o desenvolvimento de doenças periodontais. 

Conclusão

Muito tem se discutido sobre o Cranberry e a sua ação, tanto em humanos como em animais. Está claro que esta fruta traz muitos benefícios a saúde, mas ainda é necessário realizar vários estudos e pesquisas para conhecer ainda mais os fins terapêuticos e profiláticos desta fruta, principalmente nos animais. 




Literatura citada:
ALZUETA, A.F. Aplicaciones fitoterapéuticas del arándano rojo: prevención de las infecciones del tracto urinario, O F F A R M, vol. 27, núm. 9, octubre 2008. 

CARVALHO, V.M.; SPINOLA, T.; TAVOLARI, F; IRINO, K.; OLIVEIRA, R.M., RAMOS, M.C.C., Infecções do trato urinário (ITU) de cães e gatos: etiologia e resistência aos antimicrobianos; Pesq. Vet. Bras. 34(1):62-70, janeiro 2014.

CATÃO, R.M.R; NUNES, L.E; VIANA, A.P.P; ROCHA, W.R.V.; MEDEIROS, C.D. Atividade antibacteriana e efeito interativo in vitro de um produto a base de cranberry sobre Escherichia coli, Rev Ciênc Farm Básica Apl., 2014;35(4):723-729.

MAZUTTI, K.; ALBERTON, G.C.; FERREIRA, F.M.; LUNARDON, I.; ZOTTI, E.; WEBER, S.; Efeito do extrato de Oxicoco no tratamento de infecções do trato urinário em porcas; Archives of Veterinary Science, v 17, n.2, p 1-9, 2012.

UESAWA, Y & MOHRI, K. Effects of cranberry juice on nifedipine pharmacokinetics in rats, Journal of pharmacy ando pharmacology, 2006.

Demais imagens:
http://www.cranberry.ca/Farm/facts.html 
http://dicaspeludas.blogspot.com.br/2012/10/insuficiencia-renal-em-caes-e-gatos.html 
http://www.naturofarma.com.br/farmacia-saude/cranberry-a-planta-que-trata-infeccoes-urinarias/
http://pt.depositphotos.com/45745391/stock-photo-group-of-dogs-and-kitten.html 
http://www.redesuldenoticias.com.br/home.asp?id=35486