A linguagem corporal dos gatos, como decifrar?

Os animais de companhia fazem parte da vida do ser humano a bastante tempo. Hoje observa-se um aumento no número de animais de companhia, principalmente na população de gatos que no Brasil existem cerca 19,8 milhões...

Decifrando o rótulo do alimento pet food

A embalagem é uma forma de comunicação com o consumidor e tem grande participação na concorrência por um lugar no mercado, uma vez que é responsável pelo primeiro contato do consumidor com o produto, sendo objeto primordial para a definição da escolha para compra...

Importância da ingestão de água para o gato

A população de animais de estimação vem crescendo ao passar dos anos, colocando o Brasil como a segunda maior população de cães e gatos, ficando atrás através apenas dos Estados Unidos...

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Palatabilizantes e aromatizantes na alimentação de cães e gatos

Francielle de Oliveira Marx, Daniele Cristina de Lima

Alimentar cães e gatos com uma dieta completa e balanceada é extremamente importante, já que o alimento irá contribuir para uma vida mais saudável, como a diminuição de ocorrências de doenças, além de deixar a pelagem e os dentes dos seus animais de estimação muito mais fortes e bonitos.  

Mas para que o animal consuma o alimento é necessário que ele se sinta atraído e estimulado a consumi-lo e na nutrição animal utilizamos recursos para esta finalidade, que são os usos de palatabilizantes e aromatizantes.  

Mas você sabe o que são palatabilizantes e aromatizantes ? Porque são usados e como são usados na alimentação animal?

Os palatabilizantes e aromatizantes são aditivos utilizados na alimentação animal com o objetivo de melhorar as características dos alimentos, deixando-os muito mais agradáveis para o consumo. Os palatabilizantes tem como principal objetivo melhorar o gosto dos alimentos, enquanto aromatizantes conferem um aroma mais atraente ao produto, melhorando a sua aceitação pelo animal. 

É importante entender que na alimentação de cães e gatos os principais sentidos são: o olfato, seguido do paladar e por ultimo o tato, não sendo muito expressiva a visão e a audição do animal no momento da escolha do alimento (FELIX et al., 2010).  Sendo esta informação relevante para produção de alimentos para os pets. 

Nossos animais de companhia têm como ancestrais animais que obtinham seus alimentos através da caça de outros animais, ou seja, eram animais carnívoros. Com o passar dos anos cães tornaram-se carnívoros não estritos, ou seja, aqueles que utilizam-se tanto de alimentos de origem vegetal quanto animal. Apesar disso, gatos permanecem como animais carnívoros estritos. Atualmente em uma dieta para cães e gatos há uma grande quantidade de vegetais, como o milho e a soja por exemplo, os quais têm como principais funções o fornecimento de energia e proteína, deixando muitas vezes a desejar no quesito olfato e paladar, e por este motivo a indústria de alimentação para pets recorre aos usos dos palatabilizantes e aromatizantes.  

Entre os palatabilizantes e aromatizantes utilizados na alimentação de cães e gatos,  destacam-se os derivados de origem animal, como as gorduras de carne bovina,  frango e de peixe, assim como o próprio sal e alguns aminoácidos que conferem um sabor adocicado e amargo aos alimentos dos animais.

Conclusão

O uso de palatalizantes e aromatizantes são extremamente importantes, pois contribuem para maior aceitação do alimento pelo animal, garantindo a ingestão do alimento.  O uso desses aditivos é uma realidade na indústria de alimentação para animais de companhia, já que os mesmos apresentam maior sensibilidade dos sentidos de olfato e paladar.  

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

A importância das fibras solúveis e insolúveis para a saúde intestinal de cães e gatos

Francielle de Oliveira Marx, Tabyta Tamara Sabchuk

Na última década houve aumento significativo na população de animais de companhia, tendo como consequência o pronunciado desenvolvimento da indústria de alimentos para estes animais. Com o estreitamento da relação de afetividades dos cães e gatos com seus donos, busca-se uma dieta que além de atender as exigências nutricionais destes possa auxiliar na manutenção da saúde, reduzindo os riscos de doenças e promovendo o bem-estar aos mesmos. 

Existem diversas fontes de fibras disponíveis para utilização na nutrição de cães e gatos, as quais podem citar a Casca de Soja, Cana-de-açúcar, Polpa de beterraba e Celulose. Cada fonte de fibra possui um grau de fermentabilidade, a qual poderá atuar de maneira diferente na saúde intestinal dos animais. As fibras também variam conforme a sua solubilidade, podendo ser classificadas como solúveis ou insolúveis. 

As fibras solúveis apresentam alta solubilidade em água, tendo como exemplo a polpa de beterraba. Esses tipos de fibra normalmente são fermentáveis, viscosas e gelificantes. Essas características conferem vários benefícios fisiológicos, tais como: retardamento do esvaziamento gástrico e do trânsito no intestino delgado, modulação da motilidade gastrintestinal, volume e consistência das fezes, promoção no desenvolvimento da mucosa do íleo e do cólon, fornecimento de energia à mucosa intestinal, diminuição do pH do cólon e aumento da proteção contra infecção (Borges et al., 2003).

Já as fibras insolúveis, como a celulose, recebem este nome por apresentarem baixa solubilidade em água, sendo em geral pouco fermentáveis e não viscosas, sendo eliminadas praticamente na sua forma intacta. Este tipo de fibra atua estimulando principalmente o aumento na velocidade do transito intestinal, o peso das fezes e a frequência de defecação. Outra característica importante a ser considerada, é que o aumento dos teores de fibra insolúvel provoca uma diluição da energia da dieta, sendo interessante para animais que necessitam diminuir o peso, como por exemplo os cães obesos.  

No intestino grosso de animais saudáveis há diversas bactérias, sendo a maioria anaeróbicas, ou seja, que não necessitam de oxigênio. Nos cães, as mais comuns são Streptococcus, Lactobacillus, Bacterioides e Clostridium. Os principais produtos da fermentação bacteriana e do metabolismo são os Ácidos 

Graxos de Cadeia Curta- AGCC (acetato, butirato e propionato), lactato, dióxido de carbono e gás hidrogênio (NRC, 2006). 
Segundo Fischer (2011) a alimentação dos enterócitos e colenócitos pelos AGCC promove uma hipertrofia da mucosa intestinal com aumento da altura dos vilos, o que proporciona aumento da área de absorção dos alimentos. Além disso, a presença de AGCC evita ainda a proliferação excessiva dos microorganismos patogênicos, pela redução do pH do lumén intestinal (Maiorka & Oliveira, 2007).

Conclusão

Os cuidados com a saúde intestinal de seu animal de estimação são de extrema importância, já que, fornecendo uma dieta balanceada e com bons níveis de fibras estaremos contribuindo para que haja uma redução de doenças e distúrbios metabólicos, favorecendo a qualidade de vida e o bem-estar aos seus animais de companhia.