quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

A importância das fibras solúveis e insolúveis para a saúde intestinal de cães e gatos

Francielle de Oliveira Marx, Tabyta Tamara Sabchuk

Na última década houve aumento significativo na população de animais de companhia, tendo como consequência o pronunciado desenvolvimento da indústria de alimentos para estes animais. Com o estreitamento da relação de afetividades dos cães e gatos com seus donos, busca-se uma dieta que além de atender as exigências nutricionais destes possa auxiliar na manutenção da saúde, reduzindo os riscos de doenças e promovendo o bem-estar aos mesmos. 

Existem diversas fontes de fibras disponíveis para utilização na nutrição de cães e gatos, as quais podem citar a Casca de Soja, Cana-de-açúcar, Polpa de beterraba e Celulose. Cada fonte de fibra possui um grau de fermentabilidade, a qual poderá atuar de maneira diferente na saúde intestinal dos animais. As fibras também variam conforme a sua solubilidade, podendo ser classificadas como solúveis ou insolúveis. 

As fibras solúveis apresentam alta solubilidade em água, tendo como exemplo a polpa de beterraba. Esses tipos de fibra normalmente são fermentáveis, viscosas e gelificantes. Essas características conferem vários benefícios fisiológicos, tais como: retardamento do esvaziamento gástrico e do trânsito no intestino delgado, modulação da motilidade gastrintestinal, volume e consistência das fezes, promoção no desenvolvimento da mucosa do íleo e do cólon, fornecimento de energia à mucosa intestinal, diminuição do pH do cólon e aumento da proteção contra infecção (Borges et al., 2003).

Já as fibras insolúveis, como a celulose, recebem este nome por apresentarem baixa solubilidade em água, sendo em geral pouco fermentáveis e não viscosas, sendo eliminadas praticamente na sua forma intacta. Este tipo de fibra atua estimulando principalmente o aumento na velocidade do transito intestinal, o peso das fezes e a frequência de defecação. Outra característica importante a ser considerada, é que o aumento dos teores de fibra insolúvel provoca uma diluição da energia da dieta, sendo interessante para animais que necessitam diminuir o peso, como por exemplo os cães obesos.  

No intestino grosso de animais saudáveis há diversas bactérias, sendo a maioria anaeróbicas, ou seja, que não necessitam de oxigênio. Nos cães, as mais comuns são Streptococcus, Lactobacillus, Bacterioides e Clostridium. Os principais produtos da fermentação bacteriana e do metabolismo são os Ácidos 

Graxos de Cadeia Curta- AGCC (acetato, butirato e propionato), lactato, dióxido de carbono e gás hidrogênio (NRC, 2006). 
Segundo Fischer (2011) a alimentação dos enterócitos e colenócitos pelos AGCC promove uma hipertrofia da mucosa intestinal com aumento da altura dos vilos, o que proporciona aumento da área de absorção dos alimentos. Além disso, a presença de AGCC evita ainda a proliferação excessiva dos microorganismos patogênicos, pela redução do pH do lumén intestinal (Maiorka & Oliveira, 2007).

Conclusão

Os cuidados com a saúde intestinal de seu animal de estimação são de extrema importância, já que, fornecendo uma dieta balanceada e com bons níveis de fibras estaremos contribuindo para que haja uma redução de doenças e distúrbios metabólicos, favorecendo a qualidade de vida e o bem-estar aos seus animais de companhia.  


Referencias bibliográficas: 
BORGES, F.M; SALGARELLO, R.M; GURIAN, T.M. Recentes avanços na nutrição de cães e gatos. In: III Simpósio sobre nutrição de animais de estimação- Colégio Brasileiro de Alimentação Animal, p. 21-60. 2003.
NRC - National Research Council. 2006. In: Nutrient Requirements of Dogs. National Academy Press. Washington, p.428.

FISCHER, M.M., Efeitos de diferentes fontes de fibra na digestibilidade de nutrientes, nas respostas metabólicas pós-prandiais e na saúde intestinal de gatos, 2011. 87p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.
MAIORKA, A.; OLIVEIRA, S.G. Alimentos funcionais para cães. In: Congresso Brasileiro de Zootecnia, 2007.